Mensagem
do Chairman
Paulo Azevedo 

Ao longo do ano de 2018, continuámos a implementar a estratégia delineada através de: (i) foco no investimento nas áreas de negócio com planos de criação de valor já aprovados e cujo valor acrescentado é visível nos seus resultados; (ii) melhoria da posição competitiva e rentabilidade dos negócios ainda com performance insuficiente; e, (iii) identificação e materialização de novas áreas de negócio, potenciadoras de crescimento futuro. Paralelamente, prosseguimos a venda de activos imobiliários em posse do Grupo, que cumpre o objectivo de financiar os planos de investimento dos nossos negócios e das opções de crescimento futuro.

A crescente sustentabilidade das nossas operações continua a ser visível, não só, ao nível da Estrutura de Capitais, que se mantém adequada à tipologia de negócios e activos em posse do Grupo, como também, na melhoria dos nossos objetivos de rentabilidade. Em 2018, o EBITDA das Unidades de Negócio da Sonae Capital continuou a crescer e alcançou 20,6 milhões de euros, um crescimento de mais de 18% face a 2017. Adicionalmente, e mais importante para a sustentabilidade do Grupo no médio-longo prazo, o ano de 2018, tal como o de 2017, voltou a ser de forte investimento. Investimos, em 2018, 32,6M€ (1,2x o valor do EBITDA alcançado em 2018), após termos investido 61,6M€ em 2017.

Este investimento foi canalizado, sobretudo, para os negócios com planos de criação de valor já aprovados e, designadamente, em que já possuímos uma equipa com provas demonstradas, com conhecimento profundo do sector onde opera, e acima de tudo, com resultados visíveis ao nível da rentabilidade. Neste âmbito, investimos 15M€ no nosso segmento de Energia, dando passos sustentados no sentido da internacionalização, com a instalação de uma pequena equipa no México, país de grandes oportunidades na nossa tecnologia preferencial, a Cogeração. No negócio de Fitness, em que a tão ambicionada posição de liderança de mercado está prestes a ser alcançada, investimos 12,6M€, já incluindo a aquisição da cadeia Pump, cuja integração no nosso portefólio de negócios foi um sucesso.

Nos negócios de Hotelaria e Refrigeração & AVAC, todos os esforços têm sido, sobretudo, focados na melhoria operacional, uma vez que a rentabilidade de ambos os negócios ainda se encontra em patamares insuficientes. Ainda assim, durante o ano, alcançámos progressos relevantes: em Hotelaria, conseguimos o importante objectivo de “breakeven” ao nível do Ebitda e, ao mesmo tempo, continuámos a apostar na abertura de algumas unidades, por forma a mitigar o efeito de escala de que o segmento ainda padece. Neste contexto, a concessão do emblemático edifício da Estação Ferroviária de Santa Apolónia, ou a aquisição da exploração do Aqualuz Lagos, já em 2019, são passos significativos. Tal como em 2018, continuaremos empenhados, em 2019, em melhorar a rentabilidade do segmento de Refrigeração & AVAC. Já nas operações de Tróia, estamos inteiramente focados no compromisso de elevar a experiência de cliente para níveis de excelência.

No que diz respeito à concretização das nossas opções futuras de crescimento, nomeadamente, no novo negócio de Engenharia Industrial, que materializa o anunciado “investment theme” – Exportação de Engenharia Portuguesa, 2018 foi totalmente dedicado aos esforços de turnaround da nossa primeira aquisição neste sector. As dificuldades têm sido substancialmente superiores ao antecipado, mas após termos conseguido estabilizar uma equipa de gestão completa, estamos confiantes de que a Adira irá registar, a curto e médio prazo, uma actividade operacional e, principalmente, comercial, em linha com o valor que lhe reconhecemos. Sabemos do seu potencial e estamos certos de que o caminho que temos vindo a trilhar, de dotar a empresa dos recursos financeiros e humanos necessários, não deixará de resultar em melhorias significativas no seu desempenho.

A alienação de Activos Imobiliários é um dos eixos fulcrais da nossa estratégia e desempenha um papel fundamental na materialização da mesma. Em 2018, ultrapassámos largamente os valores do ano anterior, com o montante global de venda de Activos Imobiliários (incluindo CPCVs e Reservas em carteira) a situar-se em 86,6 M€. Destaco, pela sua importância, a alienação do loteamento EFANOR, por 30 M€ e o CPCV da UNOP3, por 20M€, para o desenvolvimento de mais um projeto distintivo, na Península de Tróia.

Ainda em relação a esta área de negócio, gostaria de partilhar que, no final do ano, procedemos à actualização do valor do nosso portefólio de activos imobiliários através da entidade independente Cushman & Wakefield. Foi com satisfação que constatámos que foi confirmado o valor global do nosso portefólio, o que vem reafirmar o valor intrínseco nos nossos Ativos e que traz, naturalmente, boas perspectivas para esta actividade nos próximos anos.

O cash flow gerado em 2018 pelas actividades imobiliárias e as expectativas de evolução futura permitem cumprir o triplo objectivo de financiar o crescimento das Unidade de Negócio de elevado potencial de geração de valor, de manter uma estrutura de capital robusta e adequada à tipologia de negócios e activos em posse do Grupo, e de propor à Assembleia Geral uma distribuição de dividendos que representa um dos melhores yields da bolsa portuguesa.

Antes de terminar, gostaria de dar duas notas que me enchem, de igual medida, de orgulho. A primeira tem a ver com o facto de reportarmos, pela primeira vez, um relatório de sustentabilidade da Sonae Capital. Conseguimos, finalmente, tornar este reporte numa realidade, ao agregar de forma sistematizada e autoexplicativa a informação necessária para divulgar o retrato económico, social e ambiental sobre o nosso Grupo e as nossas áreas de negócio. Este tema continuará, sem dúvida alguma, a ser uma das nossas preocupações nos anos vindouros. Definiremos os eixos de atuação prioritários e comunicaremos amplamente os nossos objetivos de melhoria para todos eles.

A segunda nota consiste em anunciar que, pouco depois de começarmos o ano de 2019, alcançámos a fasquia dos 1.500 Colaboradores. Somos, de forma cada vez mais expressiva, uma empresa em crescimento e, para isso, teremos que continuar a atrair e desenvolver cada vez mais talento para que tenhamos a capacidade de transcender desafios cada vez mais ambiciosos.

E é precisamente com uma palavra de apreço e de agradecimento para eles, os nossos Colaboradores, com que gostaria de terminar esta mensagem: só com a sua dedicação e empenho é que foi possível alcançar estes resultados em 2018. Aproveito, também, para estender este agradecimento a todos os membros dos nossos Órgãos Sociais e Parceiros, nos quais incluo Clientes, Fornecedores, Sócios e Financiadores.

Duarte Paulo Teixeira de Azevedo, Relatório de Gestão 2018

© Sonae Capital 2019. Todos os direitos reservados
Para melhorar a sua experiencia de navegação este website utiliza cookies. Ao prosseguir a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais por favor leia a politica de privacidade.